História do Município

O patrimônio da Capela de Nossa Senhora da Conceição do Pinhal de Sarutaiá, provém de uma doação feita pelo finado Bento Antônio Pereira, de uma parte de sua Fazenda denominada Nossa Senhora da Boa Vista do Pinhal, daí a denominação do primeiro nome dado a cidade: Conceição do Pinhal, passando a denominar-se Sarutaiá por ocasião da elevação a Distrito em 10 de dezembro de 1906.

 

Falecido o doador, João Pedro Teixeira e sua mulher Dona Gertrudes de Campos Pereira na qualidade de legítimos sucessores e inventariantes de cujo por escritura pública de 29 de novembro de 1879 que aqui se oferece por certidão, demarca as terras do Patrimônio de conformidade com a doação feita, isto é um quarto de léguas em casa um de seus lados. Domingos Calabrezi executou os trabalhos de demarcação cujo serviço técnico contém: 74Km2 – Piraju em 10 de abril de 1910, assinado pelo Sr. Domingos Calabrezi (agrimensor).

 

Sarutaiá, já mencionado, foi fundado em 29 de novembro de 1879 pelo Sr. Bento Antônio Pereira, passando a distrito em 10 de dezembro de 1906 e a município em 18 de fevereiro de 1959.

 

De lá, para cá, muitas coisas mudaram, o município chegou a ter 15 mil habitantes, época onde as grandes fazendas eram produtivas, e o verdadeiro progresso estava no “campo”.  Em 1970, após fatores como a queda no preço internacional do café, inibindo o mercado e desestimulando consideravelmente a cultura, processo de industrialização que agregou a mão-de-obra, e em 1975 condições climáticas que provocaram uma forte geada no café vieram à escassez de emprego, muitas famílias tiveram que mudar-se a procura de empregos e melhor condições. Em meados de 1975 Sarutaiá havia mais ou menos 3.200 habitantes.

 

Por volta de 1997/1998 houve um grande crescimento na zona urbana, onde grande parte do crescimento de Sarutaiá deve-se ao Padre Cósimo Damiano Corigliano, um “religioso” que nunca mediu esforços para dar uma condição de moradia melhor, não só ao seu rebanho, mas a todos que precisassem.  Hoje, Sarutaiá tem pouco mais de 6.000 habitantes, onde a grande parte está na zona urbana, o sarutaiense é um povo trabalhador, que apesar de enfrentar dificuldades,  é perseverante e confiante no futuro.

O município localiza-se na média Sorocabana na 11ª Região Administrativa do Estado de São Paulo, fazendo divisa com os municípios de: Tejupá, Piraju, Timburi e Fartura, com uma distância de 370 Km da Capital do Estado (São Paulo). As principais vias de acesso que ligam Sarutaiá a outros municípios são: Rodovia Engenheiro Tomáz Magalhães e Rodovia Lauro Alves Barroso (rodovia com o nome do nosso saudoso e companheiro Lauro Barroso).

 

Quanto as controvérsias que existem na história, há fortes indícios que Sarutaiá aconteceu sobre a criação da primeira usina hidrelétrica do Brasil.

 

Há que diga que a primeira hidrelétrica do Brasil esta localizada no município do Rio de Janeiro, porém há que garanta que ela está no município de Sarutaiá. A verdade é que existe, em pleno funcionamento, a Usina Boa Vista, mandada construir pelo Dr. Ataliba Leonel. O prédio é datado de 1913, data da sua fundação. As turbinas são de origem Inglesas e Alemães, e hoje a força da hidrelétrica é explorada pela Companhia Luz e Força Santa Cruz.

 

 A tradução do nome Sarutaiá vem do Tupi-Guarani:
Saru = “peludo”, taia = “cauda”, o que pode ser “bicho da cauda peluda”.

 

Datas Históricas:
Fundação da Cidade: 29/nov/1879.
Elevação do Município: 18/fev/1959.
Dia do Município: 18 de fevereiro.

Dia da Padroeira da Cidade: 08 de Dezembro, "Imaculada Conceição".

 

FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
   Distrito criado por Lei Estadual nº 1040 C, de 20 de dezembro de 1906.
   Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Distrito de Sarutaiá (Sarutayá) figura no Município de Pirajú.
   Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Distrito de Sarutaiá permanece no Município de Pirajú.
   Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, Sarutaiá é Distrito judiciário do Município de Pirajú.
   No quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Distrito de Sarutaiá figura igualmente no Município de Pirajú, assim permanecendo nos quadros fixados pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938 para 1939-1943 e Decreto-lei n.º 14334, de 30 de novembro de 1944, para vigorar em 1945-1948, bem como nos fixados pelas Leis nos 233, de 24-XII-48 e 2456, de 30-XII-53 para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-53 e 1954-58.
   Elevado à categoria de Município pela Lei Estadual nº 5285, de 18 de fevereiro de 1959, desmembrado do Município de Pirajú com sede no Distrito de Sarutaiá. Constituído do Distrito sede, Sarutaiá. Sua instalação verificou-se no dia 01 de janeiro de 1960.
   Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-08-1960.

 

Aspectos Físicos e Geográficos:
Total: 141,85 Km2
Latitude: 23º16´23”  Sul
Longitude: 49º28´49” Oeste
Altitude : 760 metros acima do nível do mar
Clima: Tropical
Vegetação: Pequenas Matas, pastagem, serrados e área de proteção ambiental.
Tipo de solo: Variado – solo arenoso, solo vermelho e solo massapé.

 

Posição Geográfica:
Limites:
Norte Piraju
Sul     Fartura
Leste Tejupa
Oeste Timburi

 

Distâncias Rodoviárias:
Brasília: 1.100 Km
São Paulo: 370 Km
Bauru: 160 Km
Botucatu: 170 Km
Fartura: 16 Km
Piraju: 15 Km
Tejupa: 15 Km
Timburi: 15 Km

 

Transportes:
A Rodovia Engenheiro Tomáz Magalhães, interliga Sarutaiá a Rodovia Raposo Tavares a 18 Km e também a SP 249 ao município de Fartura, e  Rodovia Lauro Alves Barroso que interliga ao município de Timburi.

 

 

 Brasão de Sarutaiá

Escudo redondo, português clássico, semi-partido e cortado em diagonal; no lado esquerdo (primeiro campo) fundo azul escuro, uma cruz (branca) posto em sautor, no centro, uma faixa com o nome do município (segundo campo) e no lado direito (terceiro campo) fundo amarelo, do mesmo esmalte, um pinheiro (árvore do gênero Pinus, da família das pináceas), posto em sautor. Como suportes: à esquerda, um pé de milho e à direita, um galho de café com cerejas (frutos). No pé do brasão, um listel de goles e em letras na cor preta, a legenda escrita em latim “FIDES HONOR LABOR” (fidelidade, honra e trabalho). Como timbre, uma coroa mural de oito torres.
Descrição do Brasão: Aníbal Padilha

 Hino do Município